Chegamos ao Brasil 🇧🇷
Saia na frente e se destaque fazendo seu cadastro agora

Triagem de manchester: como colocar em prática 

Publicado em
28/11/2023
Compartilhe
Autores
Comece agora receber oportunidades de trabalho
Cadastre-se
Compartilhe

A Triagem de Manchester é um método inovador e eficaz de classificação de pacientes nos serviços de saúde, desenvolvido para otimizar o atendimento emergencial. Baseando-se no Protocolo de Manchester, esse sistema utiliza critérios específicos para avaliar a gravidade dos casos, permitindo uma rápida identificação das necessidades de cada paciente. Ao categorizar as situações de acordo com a urgência, a Triagem de Manchester desempenha um papel crucial na agilização dos serviços médicos, garantindo que recursos sejam direcionados de maneira eficiente, priorizando aqueles que requerem atenção imediata. 

Essa abordagem contribui significativamente para a qualidade e rapidez no atendimento, promovendo uma resposta adequada diante das variadas condições clínicas apresentadas. E o curso da triagem de Manchester começou há muito tempo, sendo aplicado pela primeira vez na cidade de Manchester, na Inglaterra, em 1997, o que acabou gerando seu nome.

Apesar do Ministério da Saúde ainda não considerar a triagem de Manchester como forma universal de atendimento, ela foi adotada por grande parte das instituições aqui no Brasil. Acompanhe conosco o artigo a seguir para conhecer mais sobre esse método de acolhimento e triagem de pacientes.

O que é sistema de triagem de Manchester?

O Sistema de Triagem de Manchester é uma abordagem padronizada para avaliar e priorizar pacientes em serviços de saúde, visando a eficiência no atendimento emergencial. Utilizando o Protocolo de Manchester, esse sistema classifica os pacientes com base em cores, indicando a gravidade de sua condição. As cores vão do vermelho (urgência máxima) ao azul (não urgente), facilitando a rápida identificação das necessidades de cada pessoa.

Essa metodologia permite uma alocação eficiente de recursos, garantindo que os casos mais críticos recebam atenção imediata, otimizando o tempo e os esforços da equipe médica. Em resumo, a Triagem de Manchester é uma ferramenta crucial para melhorar a resposta em situações de emergência, assegurando cuidados adequados e ágeis.

Como classificar Protocolo de Manchester?

O Protocolo de Manchester é geralmente aplicado por profissionais de saúde treinados, como enfermeiros e técnicos de enfermagem, que desempenham o papel de realizar a triagem. Esses profissionais avaliam os pacientes com base em uma série de critérios, incluindo sinais vitais, sintomas e queixas, atribuindo uma cor específica de acordo com a gravidade da condição apresentada.

A importância do Protocolo de Manchester reside na organização eficaz do ambiente de saúde. Ao classificar os pacientes em categorias de urgência, o protocolo permite uma alocação mais eficiente de recursos, garantindo que os casos mais críticos recebam atenção imediata. Isso não apenas agiliza o atendimento, mas também contribui para a gestão de fluxo nos serviços de saúde, melhorando a capacidade de resposta diante de situações de emergência. No fim das contas, o Protocolo de Manchester desempenha um papel crucial na otimização dos serviços médicos, priorizando e direcionando recursos de maneira adequada para oferecer cuidados rápidos e eficazes aos pacientes.

No entanto, não são todos os estabelecimentos de saúde que utilizam o Protocolo. Em uma unidade básica de saúde, o meio de triagem comumente utilizado é o acolhimento com classificação de risco. Durante o acolhimento, os profissionais de saúde, como enfermeiros e técnicos de enfermagem, avaliam os pacientes com base em critérios estabelecidos para determinar a gravidade de sua condição. Essa abordagem permite uma rápida identificação dos casos mais urgentes, garantindo que esses pacientes recebam atendimento prioritário.

Por isso não se pode presumir como é feita a triagem na UBS, pois apesar do Protocolo de Manchester ser uma metodologia de triagem amplamente adotada em unidades de emergência e hospitais, pode não ser tão comum em Unidades Básicas de Saúde. 

Qual a classificação de risco de Manchester?

A classificação de risco no Protocolo de Manchester é feita atribuindo cores a cada paciente, indicando a gravidade de sua condição. Existem cinco níveis de risco, representados por cores distintas:

  • Vermelho (emergência): Indica uma situação de urgência máxima, exigindo atendimento imediato.
  • Laranja (muito urgente): Casos que necessitam de atenção rápida, mas não são emergências imediatas.
  • Amarelo (urgente): Refere-se a situações urgentes, mas que podem aguardar um pouco mais.
  • Verde (pouco urgente): Indica casos que podem esperar um tempo maior sem prejuízo significativo.
  • Azul (não urgente): Situações que não requerem atendimento imediato.

Esses são os exemplos de níveis da triagem de Manchester. Essa codificação por cores permite uma rápida identificação do nível de urgência de cada paciente, facilitando a organização do atendimento e a alocação eficiente de recursos nos serviços de saúde. Dessa forma, o Protocolo de Manchester contribui para uma abordagem mais ágil e eficaz em situações de emergência.

Curiosidade: na Austrália, utiliza-se a escala de triagem australiana, que também se baseia em uma triagem que classifica os pacientes em 5 categorias, cada uma com a sua cor, onde cada uma representa um tempo mínimo sugerido para que o mesmo seja atendido. Apesar de todas as coincidências, ele não é considerado a mesma coisa que o Protocolo de Manchester.

Qual a função do protocolo de Manchester?

A função do Protocolo de Manchester é classificar pacientes com base na gravidade de sua condição, facilitando a priorização do atendimento em serviços de saúde. Essa classificação é feita por meio de cores, indicando o nível de urgência de cada caso. A importância do protocolo é evidente na otimização do atendimento, permitindo uma alocação eficiente de recursos e profissionais.

Ao categorizar os pacientes, o protocolo assegura que casos mais críticos recebam atenção imediata, contribuindo para uma resposta rápida em situações de emergência. Isso não apenas melhora a qualidade do atendimento, mas também promove o melhor aproveitamento dos profissionais disponíveis, evitando sobrecargas e garantindo uma distribuição equitativa das responsabilidades.

Além disso, o Protocolo de Manchester desempenha um papel essencial na organização do ambiente de saúde, ajudando a gerenciar o fluxo de pacientes de maneira eficaz. Ao criar uma estrutura clara de prioridades, o protocolo proporciona um ambiente mais organizado, promovendo o funcionamento ideal do estabelecimento e garantindo que cada paciente receba a atenção adequada, conforme a urgência de sua condição. Em resumo, a utilização do Protocolo de Manchester é fundamental para proporcionar o melhor atendimento possível aos pacientes, ao mesmo tempo em que maximiza a eficiência dos recursos e profissionais disponíveis.

Como você pôde ver, o Protocolo de Manchester destaca-se como uma ferramenta crucial na eficácia do atendimento médico, priorizando casos com precisão e otimizando recursos. Para potencializar ainda mais essa eficiência, plataformas como MyCareForce desempenham um papel fundamental. Conectando profissionais de saúde a instituições de maneira ágil e transparente, nós contribuímos para a organização ideal dos serviços médicos.

Se você busca aprimorar a gestão de saúde da sua instituição ou procura oportunidades de exercer a sua profissão, é essencial conhecer mais sobre a MyCareForce. Explore como essa plataforma inovadora pode fortalecer a conexão entre profissionais e instituições, proporcionando um ambiente de trabalho mais eficiente e, consequentemente, um atendimento de qualidade superior. Visite nosso site para descobrir como a MyCareForce está transformando a maneira como profissionais de saúde e instituições colaboram para o bem-estar de todos. Conecte-se à excelência em saúde!